À quinta jornada o programa de jogo do SC Braga B é diferente. Os minhotos jogam, este domingo, com a UD Oliveirense, mas bem cedinho. Os Gverreiros do Minho entram em campo às 11H15. O desafio tem transmissão em direto na SPORT TV.

O treinador, Abel Ferreira, falou sobre o encontro e não mudou o discurso. “O SC Braga B vai continuar a ser fiel aos seus princípios caracterizando-se como uma equipa competitiva que sabe que não vai vencer sempre, mas que lutará sempre para vencer. Esta é a mensagem que eu passo aos jogadores e que sinto que eles também já se identificam”, revelou.

Num olhar sobre o adversário, Abel Ferreira prevê dificuldades. “Acima de tudo teremos um adversário que tem de somar pontos e, por isso, quer ganhar ao SC Braga. Há aqui uma questão pertinente que é a condição do relvado porque não sabemos qual é o seu estado e isso pode condicionar a nossa forma de jogar que passa por um jogo com posse de bola”, disse.

A particularidade da partida ter início às 11h15 não perturba o técnico que lembra o facto de o horário ser o mesmo para os dois conjuntos. “É evidente que jogar de manhã acarreta algumas alterações naquilo que é o nosso planeamento, ainda para mais estando numa semana em que disputámos três jogos. Vão haver pequenas modificações no que diz respeito ao nosso planeamento, mas este é um fator que conta para as duas equipas. É mais uma questão que nos coloca à prova, mas só deverá servir de motivação e de apelo à superação”.

Esta semana os trabalhos da equipa B tiveram uma novidade. Núrio, lateral-esquerdo do SC Braga, estreia-se nas convocatórias das Seleções Nacionais. O defesa foi chamado aos sub-21. “É um motivo de orgulho e um prémio para toda a equipa. Já falei com o jogador e felicitei-o pela chamada. O Núrio deve ter ciente que vai representar o SC Braga e, por isso, a responsabilidade é grande. Por outro lado, é o reconhecimento que as seleções estão atentas ao trabalho que temos vindo a desenvolver, tal como a estrutura também está. Para além do Núrio pensava que o Tiago Sá também fosse chamado, mas ele vai continuar a fazer o seu trabalho tendo como base que é crucial trabalher bem coletivamente para que o individual sobressaia”, finalizou Abel Ferreira.