Abel Ferreira, em declarações após a vitória frente ao FC Paços de Ferreira, teceu elogios fortes aos seus jogadores pelo rendimento que tiveram dentro das quatro linhas. O técnico dos Gverreiros do Minho sublinhou ainda que tem orgulho na forma de jogar da sua equipa – afirmando que, na sua opinião, o SC Braga é a formação que “melhor joga e mais cria” oportunidades de golo em Portugal.

Análise da partida: “Esta equipa cria oportunidades como ninguém e hoje fê-lo contra uma equipa muito bem organizada. Tivemos equipas grandes a jogar aqui e mesmo contra 11 fomos sempre donos e senhores do domínio de jogo. Entrámos fortes, dentro do que é a nossa normalidade. Não criámos menos oportunidades das que criámos em Santa Maria da Feira. Acho que ninguém se lembra dos jogadores que faltaram. Esta equipa assenta na solidariedade coletiva. Jogue quem jogar, sabem o que têm de fazer. Essa é a minha maior alegria, a consolidação de um processo e a valorização destes jogadores. A excelência só se consegue estando inconformado com o que se faz”.

Um SC Braga equilibrado: “Os nossos adversários também reagem, não podemos dar nada. Os jogos nunca estão controlados. Sabíamos que jogam com uma linha subida. Conseguimos profundidade por fora e por dentro, mas fomos humildes e respeitámos este adversário. Depois do 2-1 não podíamos tremer, eu disse que só acabaria se fizéssemos o terceiro golo. A prova está aqui, de que esta equipa é equilibrada. Somos a equipa que melhor joga, mais cria e vamos continuar a proporcionar bons espetáculos”.

Gestão do plantel: “Como treinador tens que fazer uma gestão do grupo. Provar que eles percebem que há regras muito claras. A equipa está bem, vou ter uma dor de cabeça na próxima sexta-feira, mas há um pilar que me encanta, que é o respeito. Os jogadores respeitam os colegas e o salário que recebem. Quando isso é claro, as regras são claras, só têm que dar o melhor deles a cada dia. Não é nem mais nem menos do que o fruto do trabalho coletivo. Este é um grupo de trabalho fantástico. São grandes homens, além das qualidades futebolísticas que têm”.