Decorre este fim de semana, a 1ª Liga de Karaté da FNKP. O karaté volta assim às competições nacionais, após uma longa paragem.

Na antevisão da competição, alguns atletas do SC Braga foram os porta-vozes desta modalidade e afirmam que é um sentimento bom estar de volta à normalidade e participar numa competição com enorme importância a nível nacional.

Léa Barros: “Poder representar o meu país”

Antevisão: “O meu objetivo em cada prova é o 1º lugar, mas se não acontecer espero dar o meu melhor como sempre.”

Regresso: “É sempre bom voltar, após meses e meses sem competições porque só treinar não nos motiva. Agora como temos objetivos já estamos muito mais focados no treino.”

Objetivos: “Tenho objetivos muitos elevados. Espero poder realizá-los todos, que é ser Campeã Nacional Sub-21 e Campeã Nacional de Séniores e poder representar o meu país lá fora.”

Percurso: “Balanço muito positivo. Desde que comecei no SC Braga evolui muito no karaté, trouxe muitas medalhas. Espero continuar a fazê-lo para elevar a fasquia do Clube.”

Beatriz Ferreira: “Tem sido acima de tudo uma grande evolução”

Antevisão: “Estou bastante ansiosa, porque é a primeira competição da nova época e sendo da liga olímpica dá-nos mais oportunidades para combater mais vezes, não somos eliminados. Nós combatemos uns contra os outros dentro do grupo, então dá-nos mais experiência. Estou com uma atitude positiva e tenho treinado bastante.”

Regresso: “Tendo em conta que no ano passado estávamos mais parados, por causa da pandemia. Foi uma época um pouco difícil para os atletas e para mim pessoalmente também, porque os treinos eram online e, então não tínhamos aquele contacto com o treinador nem colegas de equipa. Agora a volta aos treinos presenciais e às competições é sempre um sentimento primeiro de tudo de nervosismo e ansiedade, porque é sempre, mas também de felicidade por podermos voltar a uma normalidade. É sempre bom.”

Objetivos: “Manter o meu título nacional, sendo que no ano passado consegui conquistar esse título a nível sénior. É ir competição a competição, dar sempre o meu melhor e trabalhar para que consiga manter o título como tinha dito.”

Percurso: “Com o trabalho e passar dos anos fui conquistando várias coisas. Ano passado, finalmente conquistei o meu tão esperado título nacional. Tem sido acima de tudo uma grande evolução, um grande desenvolvimento não só ao nível desportivo como atleta, mas a também a nível pessoal.”

Emma Barros: “Espero conseguir dar o meu melhor e ascender o meu título nacional”

Antevisão: “Estou muito ansiosa, porque começar a nova época. A liga olímpica é sempre muito bom para fazermos mais combates, pois não não somos logo eliminados fazemos combates com todos os atletas, que estão na nossa categoria. Consegue dar-nos mais experiência a nível de combate, por isso é sempre uma boa competição. Espero conseguir dar o meu melhor e ascender o meu título nacional que espero manter este ano.”

Regresso: “Como tivemos poucas competições na época passada foi uma época um pouco parada. Com a pandemia também tivemos os treinos mais condicionados via online. Agora com o regresso é voltar outra vez à rotina que tínhamos antes da pandemia de competir pelo menos uma vez por mês, por isso é sempre bom.”

Objetivos: “Conseguir manter o meu título nacional de sénior – 61kg e em cada competição é sempre dar o meu melhor e tentar chegar ao pódio.”

Percurso: “O meu percurso começou há 5 anos. Como fazia outras atividades, não conseguia focar-me apenas no karaté. No ano passado já consegui focar-me mais e como tivemos mais treinos via online, mas mesmo assim eram mais treinos que consegui fazer do que anteriormente. Por isso, trabalhei mais individualmente e consegui alcançar o meu objetivo que era ser campeã nacional. Este ano como os treinos são presenciais espero conseguir trabalhar mais ainda e manter o meu título.”

Guilherme Gonçalves: “Elevar o SC Braga ao maior nível”

Antevisão: “É das competições mais competitivas neste momento, em Portugal, porque junta categorias. Por isso, espero estar ao melhor nível para conseguir o melhor resultado possível.”

Regresso: “Estava ansioso, no entanto, não deixei de treinar. Sempre acreditei que quando regressasse só tinha que estar mais forte do que antes e é sempre esta mentalidade que quis ter.”

Objetivos: “É sempre conquistar a Seleção Nacional, mas sem pressas é elevar o SC Braga ao maior nível e ao lugar de pódio.”

Percurso: “Foi sempre ascendente. Nunca senti que regredi em alguma ocasião. O SC Braga apoiou-me sempre em tudo e deu-me condições para treinar. Um balanço positivo.”