A SC Braga, SAD anuncia que acionou a opção de compra do jogador Bruno Viana, assegurando a contratação do defesa-central ao Olympiacos e um contrato que vai ligar o brasileiro de 23 anos a esta sociedade para as próximas cinco temporadas desportivas, ou seja, até 2022/23.

Bruno Viana, formado no Cruzeiro, chegou ao SC Braga em julho, por empréstimo do clube grego, ao serviço do qual se sagrou campeão na temporada transata. Tendo já cumprido 28 jogos na época em curso, na qual soma também quatro golos marcados, o defesa tem confirmado os seus créditos, cotando-se como um dos jogadores mais regulares no plantel orientado por Abel Ferreira.

Por entender que o internacional sub-20 brasileiro se enquadra no projeto de evolução e nos objetivos atuais e futuros da equipa, a SC Braga, SAD decidiu avançar de imediato para a sua aquisição, acionando a cláusula de opção que tinha ficado estipulada no contrato de cedência do jogador.

Em declarações ao scbraga.pt, Bruno Viana mostrou a satisfação pelo novo passo na carreira.

Em julho, quando chegou, dizia que queria agarrar a oportunidade. Esta assinatura é a prova de que isso foi conseguido?

Desde que cheguei que vim com a ideia de ajudar a equipa, dar o meu máximo e o meu melhor e julgo que sim, a prova está aí.

Chegou com expectativas altas. Elas foram ultrapassadas de alguma forma?

Superou as minhas expectativas, sim, tenho de confessar que desde julho até aqui que venho somando bons números, tanto em jogos como em golos, mas estou convencido de que é possível superar e de que vêm coisas melhores ainda.

Nesse contexto, e perante o interesse do SC Braga na contratação, foi um passo simples?

A decisão não foi exclusivamente minha, conversei com a minha família, a minha esposa e a minha filha, e quis o que fosse melhor para elas. Foi uma decisão conjunta, para a qual também contou o que eu penso, claro. Ouvi o meu empresário e disse-lhe que quero continuar a servir esta camisola, pela qual vou dar o meu sangue e a minha alma até ao final do contrato.

Que peso teve na decisão o projeto de futuro do SC Braga e também a forma como está integrado no clube e na cidade?

Sinto-me bem, sinto-me bem no clube, sinto-me bem na cidade. Onde vou, dou-me bem, portanto estou feliz aqui. Pela minha humildade e pelo meu desempenho julgo que consegui cativar os adeptos. O SC Braga abriu-me portas e é uma casa que eu respeito muito.

Mudou muito como jogador desde julho?

Hoje sou um jogador diferente, muito mais confiante e com mais vontade de ajudar dentro de campo. O mister tem sido muito importante, tem demonstrado o que é, independentemente dos resultados, e tem-me transmitido confiança.