O SC Braga anuncia que Custódio, antigo jogador deste clube, vai assumir, a partir da próxima temporada, a função de treinador-adjunto da equipa B. O internacional português, ainda ao serviço do Akhisar, da Turquia, coloca esta época um ponto final na sua carreira de futebolista, tendo correspondido ao convite da SAD para regressar aos Gverreiros do Minho.

Custódio, de 33 anos, foi jogador do SC Braga durante cinco temporadas, tendo conquistado uma Taça da Liga, alcançado a final da UEFA Europa League (marcando um golo decisivo nas meias-finais) e disputado a UEFA Champions League, entre outros feitos.

Ao scbraga.pt, Custódio salientou o orgulho por este passo. “É o seguimento daquilo que eu desejo e da minha paixão pelo futebol. Senti que estava na altura de deixar de jogar e seguir noutro cargo. Havendo este convite do SC Braga, um clube do qual permaneço sócio desde o dia que cá cheguei, não poderia recusar. Recebi um convite de alguém por quem tenho bastante respeito e admiração. Um homem que elevou o clube a patamares nunca antes visitados. Espero que tudo corra bem e que possa dar o meu contributo para o crescimento natural do clube”, notou, reconhecendo que o convite foi algo inesperado: “Sinceramente, surpreendeu-me. Quando tomei a decisão de terminar a minha carreira, penso que o presidente soube, fazendo-me este convite. Deixou-me bastante emocionado e realmente não poderia recusar. Estou cá para ajudar no que for preciso e espero contribuir bastante”.

Custódio mostrou-se confiante de que estará à altura das expetativas. “Sinto-me superconfortável. Estamos a falar de futebol. Sempre fui um jogador atento e observador. Sempre fui tentando informar-me e conhecer todos os caminhos a seguir. Como disse espero que tudo corra bem e que consiga contribuir para o crescimento de uma filosofia que queremos que exista no SC Braga. Esperamos que este clube possa, cada vez mais, ser uma referência no futebol”, diz quem salienta a importância da mística: “Penso que está na retina dos adeptos o quanto eu lutei por este clube. Espero poder passar isso para todos os jogadores, para que possam crescer com isso na mente. É fundamental ser-se um Gverreiro”.

Por sua parte, António Salvador, presidente do SC Braga, saudou o regresso de Custódio: “Quero, em primeiro lugar, dar os parabéns ao Custódio pela grande carreira que teve enquanto jogador e que vai agora terminar. O Custódio passou por clubes importantes, mas foi no SC Braga que viveu algumas das maiores alegrias que o futebol lhe deu e foi o SC Braga, por exemplo, que o projetou para o estatuto de internacional português. O Custódio tem uma relação fortíssima com este clube e tem, da minha parte, todo o respeito e toda a admiração. O Custódio é alguém que sente o SC Braga, porque mesmo quando saiu para a Turquia manteve-se sempre como um adepto muito atento e não deixou de ser sócio. Quando soube que terminaria a sua carreira, de imediato lhe propus que assumisse funções neste clube, porque esta é a sua casa e porque o SC Braga precisa de gente como o Custódio. Reconheço ao Custódio uma enorme inteligência e um enorme conhecimento do jogo, por isso estou certo de que vai acrescentar muita competência à nossa estrutura e que será um elemento importante ao serviço da nossa equipa B e da valorização do futebol e dos jogadores do nosso clube. Aliando a essa competência um conhecimento profundo do que é ser SC Braga, é com muita convicção que antevejo que o Custódio possa acrescentar muito a este clube.”