No universo bracarense há, por estes dias, um nome na boca de todos os braguistas. David Veiga, médio dos Sub-23, tem sido uma das figuras maiores na Liga Relevação. Tanto pela qualidade que apresenta, como pela simplicidade e classe com que a demonstra dentro das quatro linhas.

Numa conversa informal e tranquila – a mesma tranquilidade que o caracteriza dentro e fora de campo -, dá-se a conhecer aos mais distraídos.

Grato ao SC Braga: “É o quarto ano que estou no SC Braga. Sinto que este clube me ajudou a evoluir tanto como pessoa como enquanto jogador. Foi neste clube que eu assinei o meu contrato profissional e consegui chegar à Seleção Nacional”.

O orgulho de representar o clube da terra: “É claro que é sempre um orgulho jogar no clube da minha terra. O SC Braga está a tornar-se num grande clube e é muito bom jogar aqui”.

Um momento: “Quando fiz o meu primeiro golo pelos Sub-23, este ano. Foi uma grande vitória fora de casa, contra o Cova da Piedade, e foi um momento muito marcante para mim”.

Auto-definição: “Sou um jogador com tranquilidade dentro de campo, com uma boa capacidade de passe e uma boa visão de jogo. Fora do futebol sou um rapaz tranquilo, que não arranja confusões, sempre ‘na boa’ (risos)”.

Uma referência na vida: “O meu pai. Sempre me apoiou desde o início. Desde pequeno que os meus pais sempre fizeram de tudo para eu poder jogar futebol e sinto-me grato por isso”.

Uma referência no futebol: “Ao longo da história do SC Braga… Adorei o Danilo, que jogava cá no ano passado. É, sem dúvida, uma referência para mim”.

Ascensão nos Sub-23: “É óbvio que é sempre um objetivo chegar ao escalão acima. Não estava à espera, mas já que está a acontecer tenho de agarrar a oportunidade e crescer cada vez mais”.

Um sonho: “Quero jogar a um nível mundial, jogar uma Champions League. Isso era um orgulho… mas neste momento adoraria chegar à equipa principal do SC Braga”.

Jogar de quinas ao peito: “Adorava conseguir a primeira internacionalização e é um objetivo para mim voltar a ser chamado à Seleção Nacional. Acredito que esteja próximo”.