Arrancou, esta segunda-feira, a 10ª temporada da Escola de Guarda-Redes do SC Braga. Na cidade desportiva, cerca de meia centena de atletas, dos 7 aos 18 anos, deram início aos treinos dedicados à posição específica de guarda-redes, sempre com indicações dos técnicos das várias equipas do clube, tutores de créditos firmados para a potenciação do guarda-redes com identidade SC Braga.

Os guarda-redes da equipa principal (Matheus, Tiago Sá e André Moreira), da equipa B (Filipe Ferreira e Ricardo Velho) e a guarda-redes da equipa feminina Ana Rita Oliveira estiveram presentes no dia 1, onde responderam a questões colocadas pelos aspirantes a guarda-redes, iniciando-se então a sessão de treino. Jorge Vital, treinador de guarda-redes da equipa principal e coordenador da escola, falou à Comunicação Social e afirmou que hoje era um dia especial devido a ser o primeiro treino da escola de guarda-redes do SC Braga na Cidade Desportiva: “Hoje para nós é um dia muito especial. Para o departamento de guarda-redes é espetacular ter condições como estas que encontramos na cidade desportiva para trabalhar.” De seguida, defendeu que um guarda-redes do SC Braga tem de trabalhar ao nível dos melhores do mundo. “O SC Braga cresceu de tal maneira que não há possibilidade de não trabalharmos ao nível dos maiores clubes mundiais. Um guarda-redes do SC Braga tem de ser inteligente, ter grande qualidade técnica e adquirir uma grande capacidade de enfrentar todos os desafios.”

Ricardo Velho, guarda-redes da Equipa B do SC Braga, está a cumprir a 6ª temporada pelo clube minhoto e elogiou o trabalho que é realizado: “Tive aqui o ano passado e aprendi muita coisa a nível técnico e tático. O SC Braga é das melhores escolas de guarda-redes a nível nacional.”