Em Tondela, este sábado, há uma batalha dura para vencer. Opinião de Abel Ferreira que, no lançamento da partida, assumiu estar à espera de um adversário organizado e de grande qualidade. Numa conferência de imprensa onde se falou muito para além do jogo, houve espaço para reflexões profundas relativamente ao atual momento do futebol português.

Conhecimento mútuo: “Já jogámos com este adversário, pelo que existe um conhecimento mútuo. Uma equipa bem orientada, bem organizada e que sabe bem o que faz dentro do campo. Sobretudo na transição. Uma equipa que, em função dos recursos que tem, privilegia o contra-ataque. Temos que ir ao melhor de nós, ao melhor do nosso espírito competitivo. Fazer cumprir o plano de jogo e jogar do primeiro ao último minuto com o desejo de o vencer”.

Reflexão: “Tenho uma opinião contrária ao que se escreve. É algo cultural. Temos tendência a valorizar o que vem de fora. O que é dos outros é que é bom. O jogador que está do outro lado é melhor que o nosso. Temos 45 minutos de tempo útil, a Liga Inglesa tem 50 minutos. Quando olhas para os 330 milhões que o futebol fatura… Fico triste quando as pessoas que vivem de futebol lhe estão constantemente a dar porrada. Não é por acaso que somos um mercado que vende treinadores e jogadores. Tem todo a ver com o equilíbrio competitivo, económico e político. Não é nada mais do que o espelho da aldeia global em que vivemos. Sejam mais equilibrados nas receitas económicas. Há cada vez mais diferenças nos campeonatos. Liga Europeia… Porquê e para quem? Distribuam melhor as receitas e os rendimentos. Seguramente vamos ter mais gente no estádio. Vamos é valorizar este quadradinho em que vivemos. Temos o melhor jogador de sempre, o melhor empresário de sempre, os melhores dirigentes. Podemos melhorar todos”.

A lesão de Lucas e algumas certezas: “Senti uma faca a entrar no meu coração. Já ninguém o via como jogador da equipa B. Tive pena porque queria metê-lo num jogo e não o fiz. O clube vai renovar com ele por tudo o que ele acrescenta. Todos nós vamos ajudá-lo a recuperar. Contratar outro jogador? Respondo redondamente que não”.

Equipa preparada para a tensão: “Esta equipa já mostrou que está pronta para trabalhar em tensão, em alerta. Foi mais uma semana de trabalho fantástico, de qualidade, em que todos lutam por uma vaga no onze. Sabemos das dificuldades que vamos encontrar”.