Há dias que ficam para a história e este domingo é um deles. Numa narrativa que teimava em ser de final infeliz, o embate desta tarde contra o Sporting CP conheceu outros contornos e foram, desta vez, as bracarenses a sorrir e – inclusive – a levantar o troféu. O primeiro título no ‘currículo’ para o futebol feminino do SC Braga chegou num jogo emocionante até ao fim, com Francisca a apontar o golo decisivo na decisão pelas grandes penalidades.

Um arranque ‘taco a taco’ não fazia prever o que viria a seguir. Ana Borges, derrubada na grande área, deu lugar a que Tatiana Pinto batesse com sucesso na marca de castigo máximo aos 6 minutos, mas este nunca foi um encontro de verdadeiro pendor para uma ou outra equipa. O SC Braga reergueu-se e Francisca teve de seguida a oportunidade para igualar a contenda, porém, viu Carol Costa negar o golo em cima da linha à passagem dos 27’…

Com uma raça e querer sem limites, o conjunto arsenalista regressou determinado em mudar o rumo dos acontecimentos e, por intermédio da incansável Francisca, viu o esforço ser recompensado. Excelente cabeceamento da avançada aos 82’, a devolver a igualdade e a encaminhar a partida para prolongamento, que ainda assim terminou sem alterações no marcador.

Seguiram-se as grandes penalidades e na ‘lotaria’ – tão vulgarmente chamada – pode dizer-se que a ‘sorte grande’ saiu ao SC Braga… Depois do acerto de Vanessa, Laura Luís, Sara Brasil e Murnan na marca de 11 metros, bem como da defesa de Rute Costa ao penálti batido por Carlyn Baldwin, Francisca assumiu o momento decisivo e não cedeu: festa no relvado e nas bancadas, que, para além do Estádio do Fontelo, já tem novo ponto de encontro. Esta segunda-feira, pelas 18h30, as Gverreiras vão ser recebidas na Câmara Municipal.