William Pottker, 21 anos, é um dos nomes do momento no grupo de Paulo Fonseca. O extremo brasileiro, que arrancou a pré-temporada integrado na equipa B, conseguiu um lugar no grupo que o treinador chamou a estágio e mereceu destaque no particular contra o Aston Villa.

Na manhã deste sábado, apresentou-se aos jornalistas. “Tenho características parecidas com as do Hulk, gosto muito dele: rápido, forte, remate potente… Espero conquistar um pouco do que ele conquistou aqui em Portugal”, apontou quem já no Brasil era comparado com o internacional canarinho. Pottker salvaguardou as devidas distâncias, mas na ficha pessoal fica também expressa a garantia de um jogador de grupo: “O trabalho é muito tático, muito exigente. Vou trabalhar muito para estar ao nível que o treinador pretende.”

A hora é de aprendizagem para o jovem que o Figueirense emprestou ao SC Braga. Há que perceber a nova realidade e isso requer capacidade de adaptação. “Têm sido dias de muito trabalho, os treinos são exigentes e estamos focados no trabalho para estarmos prontos quando começar o campeonato”, notou quem se recusa a colar rótulos de jogador de equipa A ou B: “Eu cheguei para ajudar o SC Braga, o meu contrato é com o SC Braga, vim demonstrar o meu trabalho e ser reconhecido por isso.”

O nome do clube, confessa, entusiasmou-o. “O SC Braga é uma equipa muito conhecida mundialmente, espero ajudar à conquista dos nossos objetivos, que passam por conseguir, no mínimo, o 4º lugar na Liga NOS”, frisou quem admiti preferir jogar a partir da faixa direita: “No Brasil jogava nesta posição, é uma posição que adoro, mas estou à disposição do SC Braga para jogar onde for preciso.”

Pottker é um dos jogadores à disposição de Paulo Fonseca, que orientou uma sessão na manhã deste sábado e volta aos relvados de treino às 17 horas.